Colangiopancreatografia Retrógrada Endoscópica – CPRE

O que é uma Colangiopancreatografia Retrógrada Endoscópica?

A Colangiopancreatografia retrógrada endoscópica (CPRE) é um procedimento híbrido endoscópico e radiológico. Com o auxílio de um videoendoscópio específico (duodenoscópio) é possível à identificação e observação das papilas duodenais (maior e menor) e, com uso de cateteres diferentes, introduzindo contraste nos ductos biliar e pancreático pode-se examina-los com o auxílio da radioscopia. Além disso uma séria de procedimentos terapêuticos pode ser realizada. A CPRE é certamente o procedimento de maior risco realizado pelos endoscopistas, com taxas de complicações que, dependendo da definição e do procedimento, podem atingir 30 % dos casos. O uso diagnóstico da CPRE foi amplamente substituído por outros métodos da imagem: Colangiopancreatografia por ressonância magnética e ecoendoscopia.

O que é Papilotomia Endoscópica da papila maior?

É um procedimento cirúrgico-endoscópico caracterizado pela secção da papila duodenal maior em posição de 11 a 12 horas, limitada pela prega transversal na transição papila duodenal denominada prega transversal proximal ou sentinela. O objetivo desse procedimento é secção da papila, incluindo-se o seu esfíncter, razão pela qual também recebe a denominação de papiloenficterotomia ou, simplesmente, esfincterotomia endoscópica, muito empregada na literatura médica da língua inglesa.

Equipamento

A CPRE é realizada com a utilização de um duodenoscópio, um videoendoscópio que tem duas características diferentes.
• Um CCD (change couplet device – dispositivo de carga acoplada) e a iluminação estão posicionados em um ângulo de 90º graus em relação ao eixo do aparelho e não na extremidade distal como nos demais videoendoscópios.
• Presença de um elevador na extremidade distal do canal de instrumentação que promova a angulação extra de qualquer acessório introduzido por este canal.

Com essas características, a papila duodenal maior pode ser facilmente identificada (já que o ângulo de visão é perpendicular à parede do duodeno) e, com o auxílio do elevador, os diferentes tipos de acessórios podem ser manipulados e introduzidos no ducto pancreático ou biliar.

Indicação

As principais indicações da CPRE com papilotomia endoscópica:
1. Coledocolitíase – é a mais comum indicação da papilotomia endoscópica
2. Pancreatite aguda biliar
3. Colangite
4. Fistula biliar
5. Disfunção de esfíncter de Oddi
6. Estenoses benignas da via biliar (cirurgia, trauma, Síndrome de Mirizzi).
7. Tumor de papila
8. Coledococele
9. Acompanhamento de cólica biliar
10. Icterícia e/ou pancreatite recorrente
11. Síndrome do Sifão (Sump syndrome)

Complicações

  1. Complicações inerentes à anestesia geral.
  2. Pancreatite: complicação mais comum da CPRE com reação inflamatória local e sistêmica variável, podendo levar à internação prolongada ou mesmo ao óbito. Sua incidência pós-CPRE varia entre 0% e 39.5%.
  3. Hemorragia: apresenta maior ocorrências em procedimentos terapêuticos, tendo relação direta com características de papilotomia.

     4. Perfuração: quando relacionadas ao aparelho propriamente dito é um evento raro.