Balão Intragástrico para Tratamento de Obesidade

A obesidade passou a ser considerada uma doença pela Organização Mundial de Saúde (OMS) desde 1991.

Segundo dados da OMS, no mundo, há mais de bilhão de adultos com sobrepeso e 300 milhões com obesidade.

DEFINIÇÃO DE OBESIDADE: excesso de gordura corporal em relação a massa magra.

O balão intragástrico é uma opção de tratamento da obesidade temporário com o objetivo de acelerar o emagrecimento e estimular uma mudança de estilo de vida através de regime alimentar saudável e atividade física regular.

INDICAÇÕES 

  • Para perda de peso em pacientes com IMC > 30 que falharam em tentativas clínicas de redução peso para amenizar as comorbidades relacionadas à obesidade
  • Uma “ponte” para as cirurgias de obesidade nos pacientes superobesos (IMC >50)
  • Para pacientes com sobrepeso ( 25 a 30 IMC) com melhora da qualidade de vida e
  • Nos pacientes onde o emagrecimento aumenta segurança pré-operatória para procedimentos cirúrgicos para os quais a obesidade soma-se aos riscos habituais (cirurgias cardíacas e ortopédicas)

ALGUMAS CONTRAINDICAÇÕES 

  • Úlcera gástrica ou duodenal em atividade
  • Hérnia hiatal maior de 5 cm
  • Gestação
  • Dependência ativa de álcool e/ou drogas
  • Distúrbios psiquiátricos
  • Uso crônico de anticoagulantes sem possibilidade de interrupção

Uma forma simples de diagnosticar e classificar a obesidade é

  • cálculo do Índice de massa corporal(IMC),
  • medida da circunferência abdominal. 

O IMC é calculado dividindo-se o peso corporal pela altura ao quadrado e é expresso em KG/m²

IMC (kg) CLASSIFICAÇÃO GRAU DE OBESIDADE RISCO DE DOENÇA
<18,5 Magreza 0 Elevado
18.5 e 24.9 Normal 0 Normal
25 a 29,9 sobrepeso 0 pouco elevado
30 a 34.9 obesidade leve I elevado
35 a 39,9 Obesidade moderada II Muito elevado
> 40 Obesidade grave III Muitíssimo elevado

CIRCUNFERÊNCIA ABDOMINAL 

O aumento da gordura central está associado a maior risco de morbidades e de mortalidade.

Em adultos com IMC  25 e 34.9 Kg /m², a circunferência maior que 102 cm em homens e 88cm nas mulheres é associada a um grande risco cardiovascular. 

COLOCAÇÃO DO BALÃO INTRAGÁSTRICO 

  • O paciente deve fazer uma dieta sem resíduo na véspera do exame.
  • Ficar em jejum jejum de 08 horas antes do exame.
  • O paciente é submetido a uma endoscopia digestiva alta sob anestesia geral venosa.
  • O balão é introduzido vazio pela boca do paciente.
  • Insufla-se o balão com 700 ml de soro fisiológico 0.9% e uma ampola de azul de metileno estéril a 2% sob visão direta.
  • RetIra-se a sonda de inserção do balão com cuidado.
  • Checa-se endoscopicamente se o balão está corretamente posicionado e se não houve sinais de vazamento da solução salina.
  • O paciente recebe uma dieta para ser seguida no primeiro mês.
  • Nos primeiros 2 a 3 dias os pacientes apresentam vômitos e dor abdominal e a intensidade varia de paciente para paciente.

IMPORTANTE:

Emagrecer e manter o peso não é uma tarefa tão fácil assim, portanto, você será acompanhado durante o tratamento por uma equipe: médico, nutrólogo, nutricionista e um orientador de atividades físicas. Esta equipe o ajudará a atingir suas metas e a manter grandes mudanças em seus hábitos alimentares e na prática de atividades físicas.

Além dessa equipe é aconselhável um psiquiatra e/ou um psicólogo.

Se estas orientações não forem realizadas, você não apresentará resultados significativos no processo de seu emagrecimento.

Após a retirada do balão, aconselhamos o prosseguimento do acompanhamento multidisciplinar como nutricionista, psicólogo e personal trainer, para manter o emagrecimento saudável promovido por esse processo. 

 

Permanência máxima do balão no estômago – 6 meses 

RETIRADA DO BALÃO INTRAGÁSTRICO 

  • Dieta sem resíduo na véspera do procedimento de retirada do balão.
  • Jejum absoluto 8 horas antes do exame.
  • Endoscopia digestiva sob anestesia geral venosa.
  • Com o kit de retirada, introduz-se um cateter com uma agulha no balão, retira-se a agulha e aspira-se todo o conteúdo.
  • Após o esvaziamento do balão, retira-se o mesmo com grasper.
  • Realiza-se nova endoscopia para revisão da cavidade gástrica e o trajeto de extração, finalizando o procedimento.